Olivia me disse

Sobre o colar de âmbar

Dicas & IdeiasOlivia me disse2 Comments

Não me lembro exatamente como foi que ouvi falar, pela primeira vez, sobre o colar de âmbar. Pode ter sido porque Gisele Bündchen postou uma foto da filha usando, em seu Instagram ou pode ter sido também porque, depois disso, virou moda no Brasil e as pessoas começaram a vender pelas redes sociais. Ou, também porque aqui na Alemanha é comum o uso, não só por bebês, mas por crianças e adultos então vejo sempre na rua. É conhecido, principalmente, por ajudar os bebês a não sentirem tantas dores quando os dentes começam a nascer.

Antes de falar sobre minha experiência pessoal, vou contar o que encontrei sobre o próprio âmbar.

 Olivia e o colar de âmbar

Olivia e o colar de âmbar

O que é o âmbar?

O âmbar é a seiva de árvores pré-históricas fossilizadas que cresceram há milhões de anos atrás, principalmente na Escandinávia e em outros lugares ao redor do Mar Báltico. Tem sido usado por séculos como um remédio natural para aliviar a dor, promover a rápida cicatrização e estimular o sistema imunológico. Suas propriedades analgésicas e anti-inflamatórias o tornam ideal como um produto homeopático natural para bebês e crianças.

Acredita-se que o âmbar pode ter até 300 milhões de anos de idade. Está entre os mais antigos bens de comércio do mundo. Alguns artefatos encontrados no Mediterrâneo e no Egito tem mais de 6.000 anos de idade.

O âmbar possui um ácido em sua composição: o ácido succínico – estudos afirmam que esse composto químico fortalece o sistema imunológico, estimula o sistema nervoso e melhora a atividade metabólica. Por isso, o âmbar atuaria como analgésico e anti-inflamatório natural. Perto da pele, o calor do corpo ajuda a libertar quantidades minúsculas de óleo a partir do âmbar.

O Âmbar do Báltico é conhecido por reduzir a acidez no corpo humano de uma forma totalmente natural. Dizem que se o bebê usar o colar todos os dias, ele pode ajudar a reduzir os sintomas mais comuns relacionados com a dentição, tais como: vermelhidão nas bochechas, gengivas inchadas, assaduras e febres.

Funciona?

Não existem estudos científicos que comprovem a eficácia do uso de colares de âmbar para aliviar a dor de dente nos bebês. Não há nenhuma pesquisa que mostre que ele funcione, o que existem são experiências pessoais. É um método natural sem comprovação científica – é o que diz a maioria dos pediatras.

É seguro?

Para garantir a segurança do bebê ao usar um colar de âmbar, as recomendações são as seguintes:

  • O colar deve ser o de âmbar verdadeiro do mar Báltico, que tem o mais alto teor de ácido succínico.
  • Entre cada conta deve haver um nó. Dessa forma, caso o cordão se rompa, apenas uma conta cai.
  • O fecho deve ser de rosca, para que a criança não consiga abrir.
  • Deve-se evitar molhar muitas vezes o colar para não enfraquecer o fio de algodão com o qual é feito.
  • Ao usar, a criança deve estar sempre sob supervisão de um adulto.
  • A criança não pode dormir com o colar para evitar risco de asfixia.
  • O bebê pode apresentar alergia ao colar, então faça um teste antes de usar. 

Como saber se é âmbar verdadeiro?

  • Coloque uma ou duas gotas de acetona ou álcool em uma das contas. Se ficar pegajosa ou alterar a cor, não é âmbar.
  • Misture uma parte de sal com duas de água e dissolva. Coloque uma peça de âmbar: se boiar, é autêntica.
  • O âmbar é morno ao toque, bem diferente das imitações de vidro, que são sempre mais frias que a sua pele.
 No jardim do castelo de Nuremberg, o Kaiserburg

No jardim do castelo de Nuremberg, o Kaiserburg

Aqui na Alemanha é fácil encontrar o colar em qualquer farmácia ou mercado. Por ser comum, não custa caro, por volta de 10, 15 euros. Faz parte da tradição e já ouvi gente contando que os avós usaram. Segundo o dito popular, funciona!

Sempre falo que minha experiência com o colar foi positiva. Desde que Olivia começou com os sintomas dos dentes, aos 4 meses, ela já começou a usar. E nunca apresentou nada além de ficar com a temperatura do corpo um pouquinho mais elevada, mas nada de febre. Nunca teve maiores dramas ou desconfortos. Coloco o colar assim que ela acorda e sempre tiro quando ela vai dormir. Sempre. Mesmo se for uma soneca de 15 minutos. Ela sempre usa o colar quando estou por perto. Achei seguro porque o fio é resistente, tem um nó entre cada conta e o fecho de rosca é fácil de abrir, seguindo as normas de segurança que a Alemanha impõe. A Olivia nunca tentou abrir, puxar ou tirar o colar. Sempre mostro para ela antes de vestir, ela brinca um pouco com ele e não se importa mais quando está no pescoço.

Mas porque ela sempre usou, confesso que fico em dúvida: será que é o colar, ou ela não teria nada, mesmo sem usar o acessório?  Pode ser que ela não seja tão sensível a dor, mas gosto de acreditar que o colar ajuda!

Quem quiser comprar o colar de âmbar pode procurar pela Carina em sua página no facebook: https://www.facebook.com/ColarDeAmbar