Olivia me disse

O parque das cerejeiras em Amsterdam

ViagensOlivia me disseComment

A primeira vez que li sobre o parque das cerejeiras aqui em Amsterdam foi num jornal na academia. Nem sabia que existia! Quando cheguei em casa, fui correndo pesquisar sobre ele no blog da Ana, minha principal fonte de informação quando o assunto é Amsterdam! Logo vi que não podia perder a florada desse ano.

 As florzinhas de pertinho, tão delicadas!

As florzinhas de pertinho, tão delicadas!

De acordo com o site iamsterdam.com, The Japanese Sakura (o festival das cerejeiras) marca o início da primavera e segundo a tradição, famílias e amigos comemoram fazendo um picnic sob as árvores em flor. O município de Amstelveen, onde realmente fica o kersenloesempark, organiza um festival para sua comunidade japonesa em agradecimento pelo presente de 400 árvores cerejeiras oferecido pelo governo japonês no ano de 2000. 

 A entrada para o Kersenbloesenpark, o parque das cerejeiras.

A entrada para o Kersenbloesenpark, o parque das cerejeiras.

 Não é impressionante tantas cerejeiras juntas?

Não é impressionante tantas cerejeiras juntas?

Então, numa sexta de manhã, nós fomos visitar o Amsterdamse Bos, o bosque gigantesco que vai de Amsterdam até Amstelveen e também onde foram plantadas as cerejeiras. Colocando o nome do parque no google maps dá para ver direitinho a localização mas ficamos meio perdidos. Achamos o estacionamento gratuito e fomos seguindo as pessoas que também estavam lá para ver o espetáculo e tirar fotos! O parque das cerejeiras em si não tem endereço, mas a rua onde fica o estacionamento mais próximo se chama Laan Nieuwer-Amstel e foi o que usamos para nos levar até lá. 

 Só segurando assim para fotografar esse menino!

Só segurando assim para fotografar esse menino!

 Olivia tentando levar uma lembrança do parque!

Olivia tentando levar uma lembrança do parque!

OMD brincandonoparque.jpg
OMD brincandonoparque.jpg

O parque é lindo, pegamos as árvores bem floridas, num dia nublado, mas só de não estar chovendo já era uma vantagem enorme! As árvores em flor duram mais ou menos 2 semanas entre o final de março e o começo de abril, mas sempre varia de ano para ano. Nós fomos exatamente dia 13 de abril, mas já li sobre pessoas que visitaram antes ou depois, então infelizmente não é um passeio que se possa planejar. Mas se você mora na Europa ou estiver por aqui nessa época, vale muito a pena! Ficamos encantados com o parque!

Matildas Lit Kit: uma idéia incrível de book subscription

Dicas & IdeiasOlivia me disseComment

Eu conheci a Denise, criadora do Matildas Lit Kit, através do instagram. Era dezembro, eu moro em Amsterdam, e inevitavelmente nossa primeira conversa foi sobre pepernoten, um biscoitinho típico dessas terras na época do natal! Antes disso eu já era apaixonada pelo trabalho dela. Denise cria caixas recheadas de materiais para atividades manuais e livros. E numa assinatura mensal, manda tudo bem embrulhadinho para sua casa. 

Foi então que a Denise me mandou uma mensagem perguntando se eu gostaria de receber uma caixa do Matildas Lit Kit. Eu fiquei muito feliz não só pela oportunidade de colaboração, mas principalmente por poder divulgar esse trabalho que eu acredito muito e apoiar a idéia de incentivo à leitura. 

 a caixa do Matildas Kit Lit.

a caixa do Matildas Kit Lit.

 as surpresas dentro da caixa!

as surpresas dentro da caixa!

Eu vejo várias vantagens em book subscription. A primeira delas, o conforto de receber na sua casa livros previamente selecionados. A surpresa em receber uma caixa também me agrada muito, fico ansiosa para o correio chegar! No caso do Matildas Lit Kit, com os livros recebidos todo mês, dá pra ir construindo uma biblioteca gradualmente e com as 4 atividades da caixa, tem projeto para o mês inteiro para fazer com os filhos! A Olivia adora tudo que envolva papel, lápis, tesoura e tinta (será que é minha filha?!) e o Lio ainda está aprendendo que precisa concentrar suas artes somente no papel! Foi perfeito para nós!

Para contar mais sobre o Matildas, conversei por email com a Denise e ela contou como surgiu o projeto, o que a motiva e muito mais:

(a entrevista original foi feita em inglês e a tradução está logo após cada pergunta)

1- OLIVIA ME DISSE: Could you please introduce yourself and tell us a little bit about how you came up with the idea of Matildas Lit Kit?

DENISE: Hi, I’m Denise. I’m passionate about education, traveling, and books. I love books - it inspires me and sets my mood, especially those that are beautifully illustrated and meaningful. I have a degree in Education, Teaching English to Foreign Learners. I’m a teacher. I’ve been teaching for almost 10 years now. The world of education has changed so much and I believe that as a teacher we need to innovate and change with the times in order to make an impact on our students’ lives. I started Matildas Lit Kit because I believe that our home is a vital piece in our child’s learning process. I want to help families create their reading corners, build their book collection, start family rituals, and learn & create together.

1- OLIVIA ME DISSE: Você pode se apresentar e contar um pouco de como surgiu a idéia do Matildas Lit Kit?

DENISE: Olá, sou Denise. Sou apaixonada por educação, viagens e livros. Eu amo livros - isso me inspira e define meu humor, especialmente aqueles que são lindamente ilustrados e significativos. Eu sou formada em Educação, Ensino de Inglês para Alunos Estrangeiros e sou professora. Eu ensino há quase 10 anos. O mundo da educação mudou muito e acredito que, como professor, precisamos inovar e mudar com os tempos para causar impacto na vida de nossos alunos. Eu iniciei o Matildas Lit Kit porque acredito que nossa casa é uma peça vital no processo de aprendizado de nossa criança. Eu quero ajudar as famílias a criar seus cantos de leitura, construir sua coleção de livros, começar os rituais familiares e aprender e criar juntos.

2- OMD: What is the purpose of the project and who is it for?

DENISE: The purpose of this project is to help you discover fun, cool, amazing, beautiful, and meaningful books! We have three boxes:

  • Book + Creative Projects Box for ages 4 to 8
  • Little Readers Box for ages 3 and up
  • Little Ones Box for ages 0 to 3.

My dream is to make Matildas Lit Kit a lifestyle, and be part of every family’s home - a community where reading brings families together, where learning is enjoyed by everyone, and where creativity & imagination is part of our hearts.

2- OMD: Qual o propósito do projeto e pra quem ele foi feito?

DENISE: O objetivo deste projeto é ajudá-lo a descobrir livros divertidos, legais, incríveis, bonitos e significativos! Nós temos três caixas:

  • Livro + Caixa de Projetos Criativos para idades de 4 a 8 anos
  • Little Readers Box para maiores de 3 anos
  • Little Ones Box para idades de 0 a 3 anos.

Meu sonho é tornar o Matildas Lit Kit um estilo de vida e fazer parte da casa de toda a família - uma comunidade onde a leitura reúne as famílias, onde o aprendizado é desfrutado por todos e onde a criatividade e a imaginação fazem parte do nosso coração.

3- OMD: How do you select the materials and books?

DENISE: I work around a theme. I love themes! It helps me organize my thoughts. I get different books in advance and discover it myself. I want to experience the whole feel of the book - the cover, the pages, the textures, the illustrations, and of course the story. It needs to spark my own imagination and when it does, voilà! That’s the book! Then I plan the activities. I make sure to include different art materials every month so parents and children could learn new things and discover creative projects using unique materials. One of my goals for in the future is to include materials from local makers and designers - to help the small business community.

3- OMD: Como você seleciona os materiais criativos e os livros?

DENISE: Eu trabalho em torno de um tema. Eu amo temas! Isso me ajuda a organizar meus pensamentos. Eu recebo livros diferentes com antecedência e descubro sozinha. Eu quero experimentar toda a sensação do livro - a capa, as páginas, as texturas, as ilustrações e, claro, a história. Preciso estimular minha própria imaginação e quando isso acontece, voilà! Esse é o livro! Então eu planejo as atividades. Certifico de incluir materiais de arte diferentes todos os meses para que pais e filhos possam aprender coisas novas e descobrir projetos criativos usando materiais exclusivos. Um dos meus objetivos para o futuro é incluir materiais de fabricantes e designers locais - para ajudar a comunidade de pequenos negócios.

4- OMD: Do you have any book that you like the best?

DENISE: That’s a tough question! I love children’s books! Actually, books in general. I make sure to get one when I’m traveling to a new place. It’s amazing how you can use a simple story as a springboard to talk about themes about love, friendship, empathy, courage, overcoming fear, community, loneliness, acceptance, and other abstract topics. Let me tell you about my first memory of a book; I was perhaps 8 or 9 years old. I had this book about dinosaurs and the other one about constellations and I was always reading it, looking at the illustrations, learning about fascinating information about amazing creatures that lived millions of years ago and about the sky and how the stars form certain shapes for example the big dipper, little dipper, and the Orion. Oh, what a nice memory! I must say those books sparked my imagination. 

4- OMD: Você tem algum livro favorito?

DENISE: Essa é uma pergunta difícil! Eu amo livros infantis! Na verdade, livros em geral. Eu me certifico de ligar quando estiver viajando para um novo lugar. The use the trampolim for talk about themes for amor, amizade, empatia, coragem, superação do medo, comunidade, solidão, aceitação e outros tópicos abstratos. Deixe-me contar sobre a minha primeira lembrança de um livro; Eu tinha talvez 8 ou 9 anos de idade. Você tem esse livro sobre dinossauros e o outro sobre constelações e estás sempre lendo, olhando como ilustrações, aprendendo sobre informações sobre criaturas que vivem milhões de anos e sobre o céu e como as estrelas formam formas diferentes, por exemplo. o grande mergulhador, o pequeno mergulhador e o Orion. Que boa lembrança! Devo me inspirar em minha imaginação.

 olivia com a máscara de coelhinho da páscoa!

olivia com a máscara de coelhinho da páscoa!

Assim que a caixa chegou, fomos correndo abrir. Era a semana da páscoa e uma das atividades era construir essa máscara de coelhinho que a Olivia está usando na foto acima. A Denise mandou uma pro Lio, que fiz para ele, mas foto foi impossível tirar! Eles adoraram as atividades, ainda não fizemos todas, claro. O livro desse mês foi o Under the Canopy: Trees Around the World escrito pela inglesa Iris Volant e ilustrado pela Cynthia Alonso. É um livro super especial, maravilhoso, com ilustrações incríveis sobre mitos, lendas e histórias de árvores do mundo inteiro. Além do livro em inglês vieram as vocabulary cards com palavras em inglês relativas ao livro para fixar ou aumentar o vocabulário. Eu realmente não sei quem gostou mais: eu ou as crianças!

Todo o material e os livros do Matildas Lit Kit são em inglês. Perfeito para famílias bilíngues ou pais que queiram ensinar ou manter o inglês em casa. Se você quer começar a introduzir a língua inglesa em sua casa, também é para você! Eles entregam para vários países da Europa e em breve também para o Brasil e América do Sul. Para mais informações, o site é: www.matildaslitkit.com e também o perfil no instagram: @matildaslitkit

Última parada da road trip: Londres

ViagensOlivia me disseComment

Para contextualizar: em dezembro do ano passado, 2017, nós fizemos uma road trip saindo de Amsterdam, passando pela Alemanha, Áustria, França e Inglaterra. Eu escrevi sobre como planejamos as viagens e sobre cada cidade que passamos. Para ler os posts anteriores é só clicar no link que destaquei na frase acima!

De Calais na França para Folkestone na Inglaterra

Saímos da Disney em Paris e fomos direto para Londres. Achamos que seria melhor viajar durante a noite já que as crianças estavam se sentindo mal durante os trajetos e assim elas podiam dormir. Chegamos no porto de Calais na França e pegamos um trem no Eurotunnel para cruzar o Canal da Mancha até Folkestone na Inglaterra. É o jeito mais rápido e prático de atravessar. Entra-se no vagões do trem com o carro e não é preciso sair de dentro dele. A viagem dura mais ou menos 30 minutos e no site dá para conferir os horários e preços.

Programas não turísticos em Londres

Fomos para Londres para passar o natal com minha irmã que mora lá. E porque já moramos lá também não somos mais turistas na cidade e acabamos fazendo programas mais locais e revisitamos lugares preferidos. Chegamos na sexta feira à noite e no sábado de manhã fomos em uma das feirinhas que tem lá perto. Várias barraquinhas com comidas feitas pelos próprios donos. Os meninos comeram um hambúrguer, nós um enrolado de salsicha e tinha até pão de queijo inglês! Eu amo feirinha assim!  

Londres para mim significa oportunidade de brunch maravilhoso todo dia! E experimentamos um lugar novo que foi ótimo: o Bobs Café em Queens Park. O lugar é lindo, cheio de macramê e plantinhas penduradas nas paredes. Eu comi o Madame Bobs e o English Breakfast também foi aprovado na nossa mesa gigante de 4 adultos e 4 crianças! As crianças comeram fatias de pão com ovo quente, também aprovado. O lugar é super kids friendly, tem cadeira, papel e lápis e menu para eles. No site dá pra ver fotos do lugar e tem o menu também.

Outro lugar para brunch onde a comida é boa e as crianças ficam bem à vontade é o All Bar One. É mais conhecido por ser um bar, eu na verdade não sabia que eles serviam brunch, e foi um dos motivos de ser surpreendente. Lá eu sempre como eggs benedict, meus preferidos, e os meninos comem pancakes, O café é delicioso e as louças são lindas, num tom de azul claro, dá vontade de levar pra casa! A gente sempre vai na unidade que fica do ladinho da Selfridges. Outro ponto positivo: está sempre vazio. Vazio mesmo, só tem a gente! 

 Nossos pratos no All Bar One. Eu queria viver de brunch!

Nossos pratos no All Bar One. Eu queria viver de brunch!

Além da comilança, uma coisa que a gente faz quando estamos lá é ir até a biblioteca local. As bibliotecas geralmente ficam em prédios lindos e sempre tem um lugar especial para crianças com livros divididos por idades. Dessa vez visitamos a Kilburn Library e no site dá pra consultar uma perto de onde você estiver. Se você digitar o nome da biblioteca no google maps dá pra ver fotos do lugar!

Não tiramos nenhuma foto em Londres. NENHUMA foto com nenhuma das máquinas. As duas fotos que postei aqui fiz do meu celular e a qualidade não ficou boa, mas eu precisava colocar aqui para ilustrar esse post. Mas isso foi um bom sinal, sinal de que aproveitamos muito cada minuto em família! 

 A Olivia e o João no nosso natal.

A Olivia e o João no nosso natal.

Os posts sobre nossa road trip acabam aqui. Foram muitos dias na estrada, quase 15, e não posso negar que ao mesmo tempo que aproveitamos muito, foi super cansativo. Juramos que não íamos mais fazer isso, mas hoje, março de 2018, já estamos com várias viagens planejadas! Nos vemos no próximo post!

Mini biblioteca de rua

Dicas & IdeiasOlivia me disseComment
 Já viu uma mini biblioteca de rua? Essa casinha da foto acima é uma!

Já viu uma mini biblioteca de rua? Essa casinha da foto acima é uma!

Há umas semanas atrás eu postei uma foto do Lio "lendo" um livrinho no nosso instagram. Não segue a gente ainda? Corre lá e volta aqui! @oliviamedisse

E na legenda escrevi um pouco daquilo que eu chamo de mini biblioteca de rua. Explico: as pessoas disponibilizam livros que não usam mais, dentro de caixas na porta de suas casas. Você pode levar para casa, ficar com ele ou devolver. É uma prática muito comum por aqui. Então um dia eu estava andando perto de casa em Nuremberg e tinha uma caixa de papelão cheia de livros com um bilhete dizendo que podia levar. Eu escolhi um para crianças, com fotos de objetos e animais com cada letra do alfabeto. Já estava velhinho e usado mas os meninos adoraram! Também já escrevi sobre um armário de livros que encontrei em Nuremberg que vendia livros, cds e dvds para ajudar refugiados nesse post aqui.

Já vi dessas mini bibliotecas de rua de duas formas. Primeiro, livros dentro de uma caixa de papelão, na frente de casa ou na calçada. Esses livros podem ou não ser doações, você escolhe e leva para você e se tiver algum bilhete especificando, devolve depois. No lugar de descartar os livros que já não servem mais, as pessoas deixam na rua para quem se interessar.

 Uma caixa bem elaborada com livros. Mas já vi de papelão também!

Uma caixa bem elaborada com livros. Mas já vi de papelão também!

E existe também o projeto Little Free Library, que conheci andando pela vizinhança aqui em Amsterdam. Vi uma casinha linda, cheia de livros, com a plaquinha dizendo: take a book, return a book. Isso sim é uma biblioteca de rua, né? Fui pesquisar sobre a Little Free Library e descobri que foi idéia de 2 americanos que decidiram promover a literatura e aproximar as pessoas nos seus bairros. Desde quando foi fundada em 2009, através do site eles vendem as caixas de madeira em formato de casas que são as mini bibliotecas. Desde então eles cresceram bastante. Em 2017 ultrapassaram a marca e 60 mil Little Free Library nos Estados Unidos e mais 80 países. 

 A casinha da Little Free Library em Oud Zuid, Amsterdam.

A casinha da Little Free Library em Oud Zuid, Amsterdam.

 Nessa biblioteca tem livros em holandês e poucos em inglês.

Nessa biblioteca tem livros em holandês e poucos em inglês.

O site é bem completo (aqui) e dá para ler sobre como começaram, como construir sua própria biblioteca e até se registrar caso você queira fazer parte da grande comunidade. Tem também um mapa para consultar a biblioteca mais próxima. Não existe nenhuma Little Free Library no Brasil, pelo menos até a data desse post. Por 214 dólares você já começa uma biblioteca. Caro, não é? Mas nada impede de você construir a sua própria e instalar do lado de fora de casa ou na pracinha do seu bairro. Ou mesmo fazer doações dos livros que você já não usa mais!

 A biblioteca fixada no portão da casa.

A biblioteca fixada no portão da casa.

 Já pensou em fazer uma mini biblioteca?

Já pensou em fazer uma mini biblioteca?

Você gosta dessa idéia de trocar livros? Já viu alguma coisa parecida onde você mora?

Disneyland Paris no natal

ViagensOlivia me disseComment
 a entrada e também onde se paga o estacionamento: 20 euros.

a entrada e também onde se paga o estacionamento: 20 euros.

A Disneyland Paris ou Eurodisney fica em Marne-la-Vallée, 30, 40 minutos de carro de Paris. Mas nós não saímos de Paris, nós fomos de Fieberbrunn, e estávamos na metade da nossa road trip de natal. O primeiro post dessa série sobre a viagem é esse aqui onde escrevo sobre o planejamento. Tem também post sobre Heidelberg na Alemanha e Fieberbrunn na Áustria

Da Áustria para a França

Nós levamos quase 10 horas de carro nesse trajeto Fieberbrunn até a Disneyland Paris. A viagem foi tranquila: evitei alguns alimentos para os meninos não passarem mal, levei frutas e água e saímos depois do café da manhã, quase na hora da soneca deles. Também dei para a Olivia e pro Lio um remédio para evitar vômitos, depois dela ter passado muito mal no começo da viagem. Mas depois de tanto tempo dentro do carro, ninguém mais aguentava. Paramos várias vezes e vou ser sincera: as paradas de estrada na França são bem diferentes das que vimos na Alemanha e Áustria. Sujas por dentro e por fora, com comida de péssima qualidade, banheiro fedido. Talvez não demos sorte, mas foi o que vimos.  

O planejado era ir para Strasbourg e além de fazer uma parada nesse trajeto tão longo, também conhecer a cidade e o mercado de natal. Mas porque todos passaram mal (contei no último post) resolvemos cancelar o hotel e seguir direto para a Eurodisney ficando mais uma noite lá. Chegamos tarde, bem tarde, já fizemos o check in e fomos pro quarto dormir. 

Disney com bebês? No natal?

 na Main Street USA.

na Main Street USA.

Quando estávamos planejando a road trip, tentamos combinar lugares pra parar com lugares que fossem novos para gente, para conhecermos. A idéia da Disney foi porque precisávamos de uma pausa entre Strasbourg e Londres. A idéia óbvia era Paris mas já fomos tantas vezes e fica sempre cheia nessa época do ano. Max então pensou: porque não a Disney, que fica na mesma localização e as crianças ainda podem se divertir? Na hora eu concordei, achei que seria o máximo! E todo mundo me perguntou: eles não são muito novos, vão aproveitar? Não vai estar muito frio? 

Sim, eles são muito novos e sim estava frio. A Olivia tem 3 anos e já conhece vários personagens da Disney, adora o Mickey e a Minnie, O Lio tem 1 ano e não sabe de nada! hahaha Mas a intenção de sempre viajar com eles é criar o hábito e o gosto por viagens. Eles são muito novos e ainda não entendem nada direito, mas eu acredito que essas experiências fortalecem os vínculos da nossa família, dos dois como irmãos e vai imprimindo na vida deles muitas memórias. É essa a grande razão de nunca termos deixado de viajar mesmo depois dos filhos!  

Cada um aproveitou da sua maneira: a Olivia ficou muito surpresa pensando que estava na casa do Mickey, o Lio ficou espantado com tantas novidades coloridas, o Max comeu o maior e melhor hambúrguer da vida e eu gostei de todas as opções acima!

Pesquisando sobre a Disneyland Paris

Estava decidido e reservado: iríamos pra Disney! Eu fiquei muitíssimo ansiosa. Quis pesquisar sobre tudo: preços, atrações imperdíveis, o que fazer com bebês, qual o melhor horário para ir, era natal , o que será que tinha de especial? Mas não consegui muita informação, salvo pelos blogs Dri Everywhere e o Viajando com Pimpolhos. O site da Disneyland Paris também é bom para questões de preços e eventos porque isso muda de acordo com temporadas e lá é atualizado.

Então resolvi parar de sofrer antes da hora e deixar tudo para quando estivesse lá. A gente ia passar só um dia no parque mesmo, e como crianças são imprevisíveis, melhor não planejar muito para não ficar frustrada depois. 

Eu já sabia que a Disney aqui da Europa tem 2 parques: Disneyland Park, que seria o Magic Kingdom em Orlando e Walt Disney Studios Park, equivalente ao Hollywood Studios. Olhei no site o preço: bem salgadinho. Para 2 adultos e 1 criança, ( que seria o nosso caso porque até 3 anos de idade não paga para entrar então o Lio entrou de graça) 1 dia, 1 parque, sairia por 168 euros. Isso quer dizer que nós 4 poderíamos desfrutar de 1 parque só, só por 1 dia. O que também era nossa opção. Os preços variam, é bom consultar o site. Eles também oferecem pacotes e condições especiais para compra antecipada etc.

A experiência na Disneyland Paris

Ficamos num hotel dentro do complexo da Disney, o Vienna House Dream Castle. Não é um hotel da Disney, mas sim parceiro, como eles mesmo descrevem. Levamos não mais que 10 minutos de carro até o estacionamento do Disney Park e eles oferecem shuttle bus sem nenhum custo. O hotel é bem grande com uma rotatividade de hóspedes enorme dando uma cara de usado aos quartos, sabe? Mas eu não poderia ter gostado mais: shampoo, condicionador e creme para o corpo da L'occitane em tamanhos reais! hahaha E mais: se você opta por não ter o serviço de arrumação do quarto, eles tem uma sacolinha de pano para pendurar na porta e lá dentro eles colocam um produto também L'occitane em miniatura, por dia. Achei super legal, adoro uma surpresa! O café da manhã está incluso e é bem cheio, às vezes com fila.

Chegamos lá bem tarde da noite pois passamos o dia viajando. Fizemos o check in e fomos dormir. Acordamos sem pressa, tomamos café e arrumamos as mochilas para a aventura. Levei algumas coisinhas para comer: pão, banana e sachê de frutas. Li em alguns blogs que os lugares para comer ficam lotados e tudo é muito caro. Na recepção do hotel comprei os bilhetes para 1 dia em 1 parque e como eu disse acima, até 3 anos de idade não paga e para nós 3 (eu , Max e Olivia) pagamos 168 euros. Escolhemos visitar o Disneyland Park porque tinha mais atrações para os pequenos (na parte chamada Fantasyland) e também por causa do desfile de natal. Não estava muito frio, mas choveu um pouco, quando chegamos lá, ao meio dia. Tirando isso, foi perfeito: bem na hora do primeiro, dos 2 desfiles do dia. Também por causa do horário não tinha fila para entrar. 

 o carro da minnie no primeiro desfile do dia.

o carro da minnie no primeiro desfile do dia.

 outro ângulo do primeiro desfile do dia.

outro ângulo do primeiro desfile do dia.

Que recepção perfeita: o Mickey e a Minnie vieram nos receber! A Olivia dizia que estávamos na casa do Mickey, e isso foi a prova! Entramos, ouvimos o anúncio do desfile e já garantimos nosso lugar na frente. Antes de ir pra Disney, eu pensei: quem vai ser doido de ir pra lá no natal? Nós e mais um monte, muita gente! Estava lotado! Imagina aquele lugar no verão, logo pensei. Antes de andar e explorar, assistimos ao desfile e a Olivia me abraçou e falou: thank you mamãe! É claro que eu chorei, sou uma manteiga derretida e aqui está a resposta pra quem pergunta se vale a pena levar crianças tão pequenas à Disneyland! 

 o castelo da bela adormecida no fim da Main Street USA.

o castelo da bela adormecida no fim da Main Street USA.

Depois do desfile, andamos pela avenida principal, a Main Street USA e no fim está o castelo da Bela Adormecida. Você atravessa o castelo, pode entrar para conhecer e logo atrás está o Fantasyland. De um lado e do outro da avenida é cheio de lojas de souvenir, restaurantes, lanchonetes. Eu tive a impressão de que todas as lojas são iguais e vendem as mesmas coisas, mas é claro, entrei em uma por uma! 

 eu e oli!

eu e oli!

Estava bem cheio, e por isso as filas para os brinquedos chegavam a uma espera de 30, 40 minutos. Criança pequena consegue ficar esse tempão na fila esperando? Não! Então procuramos as opções com espera menor, e eu e Olivia demos uma volta de barco (até longa, valeu a espera!) que vai passando por vários temas de filmes e fomos também numa mini montanha russa com vagões de trem. Esse foi super emocionante, Olivia quis repetir! Pelo parque alguns personagens ficam disponíveis para tirar foto e distribuir abraços. Também tem fila! Vimos a Minnie e a Margarida, mas estávamos na fila pra montanha russa: ou era um, ou era outro, e ficamos na fila pro trenzinho!

Depois de dar uma volta ali por trás do castelo, também vimos um show com os personagens cantando e dançando num palco. Voltamos pela Main Street e entramos em uma loja. Olivia quis pipoca que vinha num baldinho decorado com o Mickey. 10 euros. Aproveitei para comprar uma garrafinha de água: 5 euros cada. Realmente o preço das coisas é alto. Já eram quase 2 horas da tarde e resolvemos parar para almoçar. Todos os lugares de comida rápida estavam cheios e não tinha mesa pra gente. A maioria dos restaurantes precisa de reserva e não tínhamos feito. Passamos na frente do Walt’s, um restaurante com comida americana. Entramos e conseguimos uma mesa. Eles tem kids menu e nós comemos o hambúrguer mais caro e mais gostoso da minha vida: 50 euros por essa belezura aí da foto. Saímos de lá e fomos passear mais.

 a foto não faz jus a delícia dessa hambúrguer!

a foto não faz jus a delícia dessa hambúrguer!

 a entrada do restaurante Walts.

a entrada do restaurante Walts.

A última parada do dia aconteceu às 17 horas. Meia hora antes já tinha gente parada pela Main Street USA guardando o lugar. Nós saímos do restaurante por volta das 16 horas, então ficamos por ali mesmo para esperar. Foi um desfile lindo, cada carro alegórico era temático por filme! Quando acabou andamos outra vez até o fim da avenida para ver o castelo da Bela Adormecida iluminado. Nessa hora, tocou uma música de natal e caiu uma neve de espuma!

Foi uma experiência bem legal, aproveitamos muito e surpreendentemente, porque era natal adicionou um clima bem legal. Eu nunca pensei que íamos gostar tanto. Também talvez porque não criei altas expectativas. Um outro sinal de que foi proveitoso: nenhum dos 2, que cochilam a tarde, dormiu. Ninguém ia perder nada daquele lugar!

 o castelo iluminado!

o castelo iluminado!

 vista da avenida principal com o castelo ao fundo.

vista da avenida principal com o castelo ao fundo.

A estrutura da Eurodisney e quantos dias ficar?

A estrutura para receber crianças e bebês é boa. Você pode alugar carrinhos, tem um lugar só para alimentar e trocar as crianças e todos os banheiros tem trocador. Existe o Fast Pass, para não ter que ficar em pé parado na fila esperando, onde você retira um outro ticket que te dá um horário para voltar para a fila e um sistema de rodízio, o Baby Switch, para pais com filhos não perderem a vez nos brinquedos. (no site explicam melhor)

E quantos dias é necessário para conhecer a Disneyland Paris? Eu diria pelo menos 2 se você quer conhecer os dois parques: Disneyland Park e o Walt Disney Studios. Principalmente com criança pequena, o ritmo é desacelerado e eles precisam de mais tempo. Comparada com a Disney em Orlando, a de Paris é menor, claro, mas mesmo assim ainda é grande. Não era nossa intenção conhecer tudo, ficamos 2 noites e 1 dia inteiro. Para conhecer tudo eu faria uma previsão de 3 dias e 4 noites. Como chegamos no parque ao meio dia e saímos por volta das 18 horas, se você pretende fazer um bate e volta de Paris, eu acho que dá sim tempo de conhecer um pouco do parque.

Espero ter dado uma visão do que foi ter ido à Disneyland Paris com crianças. Se tiverem alguma pergunta ou dúvida sobre o assunto é só escrever nos comentários que respondo. Até o próximo post!